Não tenha dúvidas no caminho, pergunte!

Conheça o caminho! Leia o Manual do Andarilho

 

 

 

 

 

 

Como chegar ao local partindo de São Paulo?

De carro ou avião. De carro, sai de São Paulo para o Rio de Janeiro. Do Rio pega-se a BR-101 sentido Vitória numa jornada de 06 horas para um trajeto de 500 quilômetros. De avião, existem vôos diários SP-VIX, realizados por várias empresas de transporte. Em Vitória, a partida da caminhada é na Catedral Metropolitana que fica na Cidade Alta, próximo ao Palácio do Governo Estadual, no centro da cidade.

A Abapa recomenda que "Os Passos de Anchieta" seja feito em quatro dias, considerando jornadas médias diárias de 25 km, ou seja, no ponto em que as pessoas medianamente preparadas se encontrarão bem cansadas, mas capazes de despender tal esforço. 


Qual a infra-estrutura existente?

Durante a caminhada anual oficial que a Abapa realiza, sempre coincidindo com o feriado de Corpus Christi, a entidade provê toda uma estrutura de apoio aos andarilhos que inclui, banheiros químicos nos locais de chegada/saída, serviço que também é oferecido pelos estabelecimentos encontrados na rota, inclusive o comércio praiano. Nesse período a entidade disponibiliza total assistência médica, com UTI móvel e um aparato de acompanhamento que permite apoiar o andarilho em qualquer trecho do caminho e providenciar a sua remoção em caso de necessidade. 

Para percorrer a rota fora do evento, (fora de época), pode ser conveniente, não essencial, contratar um guia. O percurso é todo sinalizado com marca típica que se repete a cada um quilômetro, com indicativo da direção onde seguir. Há que se atentar para a questão da segurança principalmente nas partes do percurso que recortam a zona urbana e periferias. 


Existem pousadas no trajeto? Quais são as acomodações, preços de diárias, para quantas pessoas

Hotéis, pousadas e restaurantes são encontrados nos quatro pernoites. Nos pernoites de Barra do Jucu, pode se hospedar nas pousadas que existem no local ou ficar em hotéis da orla de Vila Velha ou Vitória, com tempos médios de deslocamento por automóvel, de 20 minutos. Veja na página "Hospedagem", o serviço de pacote de Hospedagem e Transporte oferecidos pela Abapa.

É importante providenciar translado da hospedagem para os pontos de chegada/partida da caminhada. Esse serviço pode ser contratado junto conosco, também na página "Hospedagem". Ou, alternativamente, contratar táxis ou serviços de aplicativos como Uber, com preços máximos de R$ 30,00 por deslocamento entre o hotel e o ponto de chegada/partida da caminhada.

No pernoite de Setiba, pode se hospedar nas pousadas e hotéis que existem no local ou pode se hospedar em Barra do Jucu ou Meaípe, podendo contratar o serviço de transporte para se deslocar até ponto de chegada/partida da caminhada.

No pernoite do terceiro dia, existem as opções do andarilho dormir na própria localidade, Meaípe, aparelhada com restaurantes, pousadas e hotéis com diárias que variam de R$100,00 a R$200,00. Os estabelecimentos hoteleiros oferecem condições satisfatórias, variando claro segundo o preço. As mais baratas, oferecem quartos simples, com ventilador de teto ou ar condicionado e, opcionalmente, frigobar, enquanto as melhores estruturadas dispõem de piscina, garagem e restaurantes próprios.

A hospedagem do quarto dia pode tanto ser na cidade de Anchieta, onde se encontra o Santuário Nacional de São José de Anchieta, que é o ponto de chegada da caminhada, quanto em hotéis e pousadas ao longo do percurso, em Meaípe, Guarapari, Ponta da Fruta, Barra do Jucu, Vila Velha ou Vitória. O deslocamento de Anchieta a Vitória, por carro, é de aproximadamente 80 a 90 minutos, Para Meaípe é 15 minutos, Guarapari 25/30 e Vila Velha 60/70 m.

Se optar por permanecer na cidade que São José de Anchieta escolheu para viver os últimos 10 anos de vida, por evocar-lhe a San Cristóbal de Laguna, em Tenerife, às ruínas jesuíticas no Rio Benevente ou conhecer as praias próximas de Ubu, Parati, Castelhanos e Iriri, é possível se hospedar nos estabelecimentos na própria localidade.

A Abapa, em parceria com a TopTour, oferece serviço de transporte dos participantes da caminhada (informações de contato na página "Hospedagem"). Ônibus coletivos saem de 60 em 60 minutos do centro da cidade chegando em Vitória com 01h40.

 

Há restaurantes com comidas típicas e rápidas, e, com preços que caibam no bolso de qualquer participante?

Come-se bem nos Passos de Anchieta. A estrela da culinária capixaba é o peixe, mais precisamente a moqueca, prato com característica singular, pela forma de cozer, pelo sabor e leveza. Tanto que se julgam detentores do nome do prato que fazem questão de distinguir de peixada. Peixada quem faz são os outros. Capixaba faz moqueca. E muitos outros pratos à base de peixes e frutos do mar, como arroz de polvo, moqueca de lagosta, sururu, dentre outros mexilhões e camarões. Mas a diversidade étnica do povo capixaba também aflora nos cardápios, havendo bons restaurantes de massas e carnes que atendem satisfatoriamente glutões e gourmets.

Os preços variam de R$ 60,00 a R# 120,00 a moqueca habitualmente servida para duas pessoas, e R$ 25 a R$ 35,00 o prato individual nos restaurantes de bom nível com prazos médios de espera de 30 a 40 minutos. A gorjeta é usual, destacada da nota, de 10%.

Os restaurantes de comida rápida são à quilo, com preços que variam de R$ 15,00 a R$ 30,00. São encontrados nos pontos de chegada/saída onde alguns restaurantes fazem pratos especiais para os andarilhos, também, com preços especiais.

 

Como é a trilha? Acidentada, com asfalto, calçamento, areia, passa por matas, etc?

No primeiro dia cumpre-se o percurso entre a Catedral de Vitória e a localidade da Barra do Jucu. O trecho, urbano, é de calçamento (em sua maior parte calçadão à beira do mar) até as proximidades da Barra quando percorre uma extensão de três quilômetros de terra por entre vegetação de restinga até chegar à Vila.

No segundo dia o trecho acompanha a orla, por terra, fora da praia e passa por terreno urbano com calçamento nas proximidades da Ponta da Fruta. Daí segue pela praia, margeando pela praia até chegar à Reserva Ambiental Paulo Vinha, onde o terreno é arenoso. São cerca de 14 quilômetros percorridos em trilhas arenosa da reserva ou pela praia. Em tempo de maré cheia o trecho fica mais pesado na praia, em razão do solo socado, favorecendo o andar. O trecho do segundo dia se conclui com percurso calçado à partir da Praia de Setiba, já chegando no destino do dia.

No terceiro dia, o percurso segue margeando a praia por ruas próximas até chegar à vila de Perocão, onde transpõe um morro, com ruas de terra, atravessa uma pequena mata e segue por trilhas de chão até a Praia do Morro, onde encontra o calçamento e o asfalto. Pode-se andar pela praia, com solo batido, ou pelo calçamento que margeia a praia até chegar em Guarapari. Atravessa a cidade e ruma para Meaípe, fazendo um percurso de 2 km margeando o asfalto, com breves trechos de terra até chegar em Meaípe.

No quarto dia, o trecho inclui um pedaço inicial de chão e depois margeia via asfáltica até chegar em Ubu, onde o andarilho passa a caminhar por estradas de chão ladeando a praia. Nessa etapa o terreno alterna trechos de calçamento e chão até a entrada da cidade onde volta a aparecer o calçamento.

Todo o trecho é considerado fácil e de baixa exigência. Exceto na travessia da Reserva Paulo César Vinhas, cerca de cinco quilômetros onde é arenoso e exige mais resistência do andarilho, e na parte entre Perocão e Praia do Morro, cerca de 200 metros quando contorna um condomínio residencial, contorna passando por pedras ou, alternativamente, por uma rua que o contorna.

O percurso acompanha o desenho da orla marítima, e isso garante o rigor histórico de sua reconstituição, margeando a praia ou enveredando pelas ruas que lhe são mais próximas. Exceto em Perocão e Guarapari, onde o caminho cumpre o traçado urbano mais próximo do mar.